Blog Russel Serviços > Logística > Entenda a importância do capital de giro para a estabilidade financeira de uma transportadora
Entenda a importância do capital de giro para a estabilidade financeira de uma transportadora |

O empreendedor do segmento de transportadoras pode encontrar dificuldades para gerir seu negócio. Muitas vezes, é difícil enfrentar a concorrência ou lidar com os altos custos para manter a empresa no mercado. Assim, um aspecto fundamental no gerenciamento é ter um capital de giro.

Conhecer o que é esse recurso, para que ele serve e como calculá-lo ajudará na administração do seu negócio. Com isso, sua transportadora estará mais preparada para imprevistos e para um planejamento efetivo a longo prazo.

Quer entender melhor o que é capital de giro e como potencializar sua empresa com essa reserva financeira? Acompanhe as informações e dicas que juntamos para você nesse texto e e descubra como isso pode ajudar a fazer sua transportadora crescer!

O impacto da crise gerada pelo novo coronavírus

Dados da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística) ajudam-nos a entender melhor o impacto da pandemia de Covid-19 nos transportes. Entre março e julho de 2020, a entidade publicou uma apuração semanal sobre os índices do mercado.

Embora tenha havido uma melhora nos resultados das transportadoras, elas ainda estavam abaixo do patamar pré-pandemia. A demanda geral por transporte, que chegou a sofrer uma queda de 44,8% em abril, fechou julho do ano passado com uma baixa de 22,9%. Esses números aos poucos começar a retrair, mostrando uma recuperação gradual do setor ao longo de 2021 e com boas perspectivas para 2022.

Do mesmo modo, o percentual de empresas do setor que tiveram queda de faturamento decresceu para 77%, após ter alcançado a casa dos 94% nas semanas anteriores.

Esse é um cenário preocupante para as pequenas e médias transportadoras. Além do mais, ainda de acordo com a NTC&Logística, as empresas possuíam caixa somente para 25 dias, em média. Somando a queda de produtividade à falta de caixa, os dois fatores que mais têm prejudicado essas empresas, a inadimplência cresceu em 58% delas.

Mas qual medida elas apontaram que mais poderia auxiliá-las nesse tipo de caso? A entrada de capital de giro.

Capital de giro na transportadora: o que é isso?

Capital de giro refere-se a todos os recursos financeiros disponíveis na empresa para arcar com os custos operacionais. Em outras palavras, todo o dinheiro disponível para manter o negócio.

Entretanto, ele recurso não está integralmente concentrado no caixa da empresa.

Esse ativo circulante pode ser encontrado em investimentos de alta liquidez, que são resgatados a qualquer momento, contas bancárias ou outros locais de fácil acesso.

O capital de giro pode ser utilizado para os seguintes processos:

  • Pagamento de salário dos colaboradores
  • Quitação de tributos e impostos
  • Pagamento de contas como internet, água e luz, por exemplo
  • Compra de materiais de reposição e de estoque
  • Aluguel do pátio e/ou escritório

Nas transportadoras, o capital de giro pode ser muito bem utilizado para a compra de peças de reposição, jogos de pneus e óleos lubrificantes para a manutenção da frota.

Outro ponto que exerce muita influência no capital de giro é a quantidade de clientes em carteira de uma transportadora.

Afinal, o prazo de pagamento interfere na capacidade de arcar com as contas que possuem vencimento marcado, como salários ou impostos, por exemplo.

A importância do capital de giro para transportadoras

Como foi dito, o capital de giro refere-se aos recursos que a transportadora dispõe para pagar tanto os custos quanto às despesas operacionais. Ou seja, é o dinheiro para fazer a empresa girar. Ele é o resultado da diferença entre os recursos em caixa ou a receber e todos os gastos em determinado período.

O capital de giro ainda tem uma particularidade: ele precisa ter liquidez. Isto é, trata-se de um recurso que deve ser rapidamente acessível.

Por exemplo, uma máquina ou um imóvel não são considerados capital de giro porque não são transformados com rapidez em dinheiro para o pagamento de custos e despesas, como o combustível dos caminhões e o salário dos motoristas.

É justamente nesse aspecto que o capital de giro pode ajudar transportadoras durante a crise. Ele fornece uma injeção de caixa que pode ser usado nas necessidades urgentes do negócio e manter a operação em funcionamento.

Qual é o objetivo de ter esse recurso reservado?

Agora que você já viu a definição de capital de giro, precisa entender que o objetivo principal é garantir a saúde financeira da sua empresa. A função desse montante é semelhante a uma reserva de emergência, que permite lidar com necessidades e imprevistos.

Dessa forma, caso surja qualquer questão que exija um recurso imediato, o gestor tem como arcar com a despesa. Ao ter os recursos do capital de giro, ele não precisa solicitar empréstimo — evitando, assim, se envolver em uma dívida.

Muitos empreendedores deixam de dar importância para o capital de giro por terem uma boa previsão de faturamento. Mas é necessário entender que, muitas vezes, ela pode não se confirmar. Afinal, existem mudanças no mercado, concorrência e outros fatores que comprometem a renda.

E as contas continuam a chegar, mesmo em momentos de faturamento baixo. Despesas como combustível, aluguel, salários dos funcionários, luz, entre outras, precisam ser pagas em dia. Logo, a falta de capital de giro pode levar a problemas e até a falência do negócio.

No caso das empresas de transporte de mercadorias, é essencial considerar as particularidades do fluxo de caixa. Em diversos casos os pagamentos são feitos apenas depois do serviço do frete. Então não é possível contar com ele para os custos que surjam antes ou durante a entrega. 

Como potencializar o seu negócio com o capital de giro?

O empreendedor de qualquer segmento ou porte de empresa precisa conhecer o que é o capital de giro e ter essa reserva financeira. Como você viu, ele é uma segurança para sua companhia. E também permite fazer planos de manutenção e crescimento no mercado. 

Logo, é possível potencializar o negócio. Mas como? Em primeiro lugar, você tem a certeza de poder continuar as operações da transportadora com tranquilidade. Mesmo em períodos desfavoráveis ou diante de atrasos nos pagamentos.

Com o capital de giro, é mais fácil honrar seus compromissos — evitando que o nome da empresa fique negativado. Isso é importante não só para a manutenção do negócio, mas para participar de licitações ou fazer parcerias sem dor de cabeça.

Além disso, você pode aproveitar oportunidades de ampliar seu segmento de atuação, pois conta com um recurso extra para investir em mudanças. É possível, ainda, investir em tecnologias para agilizar seus processos e se destacar da concorrência.

Outra questão importante, principalmente para as pequenas e médias transportadoras, é ter o capital de giro para elevar seu faturamento quando a procura por seus serviços aumenta. Você tem recursos para contratar mais motoristas, por exemplo, e não precisar recusar pedidos.

Em resumo, ao ter reservado esse montante há mais flexibilidade para a tomada de decisão. Esse é o ponto principal para potencializar o negócio. Afinal, a gestão precisa de meios efetivos para aproveitar possibilidades e evitar perdas.

Conclusão 

Ficou claro que ter o controle das finanças da sua transportadora envolve reservar um montante para o capital de giro. Dessa maneira, você passa a contar com um recurso que garante a sustentabilidade do negócio e pode pôr em prática as ações para o crescimento da empresa.


Caso você tenha dificuldades em encontrar um profissional bem qualificado para determinada função da sua cadeia logística, a Russel Serviços oferece mão de obra terceirizada da melhor qualidade. Além disso, nosso atendimento é feito de forma 100% online e nos comprometemos a entregar o profissional em apenas 48 HORAS!

Não perca mais tempo e entre em contato com o e-mail contato@russelservicos.com.br para mais informações ou para fazer um orçamento sem compromisso.